º,

Dólar: R$ 3.7216

Saúde

Funerárias denunciam falta de médicos legistas


Publicado em 18/03/2019 16:54


 

Na manhã de ontem proprietários de funerárias de Bragança e Região se mobilizaram em manifestação para protestar sobre a falta de médicos legistas no Instituto Médico Legal da cidade. A coletiva aconteceu na sede do cemitério Jardim da Serra, localizado às margens da rodovia Capitão Bardoíno.

Segundo eles, os corpos que deveriam ser necropsiados em Bragança Paulista estão sendo encaminhados ao IML de Jundiaí. O Serviço de Verificação de Óbito está funcionando normalmente.

Segundo Marciel Vesco, proprietário da funerária Carvalho, todas as empresas que atendem 18 cidades da região dependem do IML de Bragança e estão sendo afetados com a falta de médicos, pois é recorrente que os corpos voltem no dia seguinte. “Se a necropsia é feita em Bragança, o corpo é liberado no mesmo dia”.

“A estrutura do IML de Jundiaí conta com 7 médicos legistas, entretanto lá não tem geladeira para guardar os corpos, todos ficam em cima de uma mesa.”, informou um dos agentes funerários à GB.

A família de Luciano dos Santos, 36 anos, ficou constrangida em não fazer o velório e o enterro como gostariam. Ele faleceu na segunda-feira, 4 deste mês, e só foi enterrado no dia seguinte 15 minutos antes de fechar o velório municipal de Serra Negra.

"O Luciano foi encontrado em casa às 8h, a perícia demorou até às 13h para leva-lo ao IML. Na funerária os funcionários ficaram constrangidos de nos informar que teríamos que pagar R$ 500,00 para leva-lo ou esperar juntar mais corpos para encaminhar ao IML de Jundiaí", disse a cunhada do falecido.

Disse que o corpo de Luciano deveria ter chegado 10h30 de terça-feira para ser velado, mas somente 15 minutos antes de fechar o velório, às 16h45, a família pode se despedir rapidamente e enterrá-lo. "Por causa da negligência do Estado, uma mãe velou um filho sem o caixão, familiares vieram de longe e não puderam ficar. Foi muito constrangedor", disse a cunhada.

Mesmo diante dos depoimentos e da mobilização das funerárias, a assessoria de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo afirmou, pela terceira vez à GB, por meio de nota, que não há falta de médicos legistas na cidade.

“A Superintendência da Polícia Técnico-Científica (SPTC) esclarece que o Instituto Médico Legal (IML) de Bragança Paulista está funcionando normalmente, não havendo interrupção de nenhum serviço prestado pela unidade. O IML do município conta com dois profissionais da área médica e está sendo realizado um estudo para remanejamento e reforço do efetivo.

O Governador João Doria anunciou, na sexta-feira, 15, a nomeação de 1.039 policias policiais militares e científicos, remanescentes de concursos públicos anteriores. Entre os profissionais que irão reforçar a segurança pública em São Paulo estão 449 policiais técnicos-científicos, sendo 51 médicos legistas, 240 peritos criminais, 128 fotógrafos e 30 desenhistas técnico-periciais. A chegada desses novos profissionais vai reforçar as equipes por todo o Estado.

Voltar