º,

Dólar: R$ 4.0555

Saúde

Estimativa é que a cidade tenha 1,6 mil dependentes químicos


Publicado em 05/06/2019 11:09


O Ministério da Saúde estima que 1% da população tenha algum tipo de dependência química (álcool e drogas). Projetando este índice para Bragança, com base em informações oficiais, estima-se que na cidade haja hoje pouco mais de 1.600 dependentes químicos. O número é alarmante e o que se constata é que nem a metade desse contingente procura tratamento para deixar a dependência.

Ainda de acordo com o Ministério, o número de pessoas que procura algum tipo de tratamento junto às unidades dos CAPS (Centro de Atendimento Psicossocial) é muito pequeno se comparado ao de dependentes.

O CAPS local tem cadastrados 1.683 pacientes, sendo 200 ativos. O atendimento começa a partir de 18 anos. Os atendimentos no CAPS AD não necessitam de encaminhamento, sendo por livre demanda, com atendimentos de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, mediante apresentação do Registro Geral (RG), Cartão do SUS e Comprovante de Endereço.

Porta de entrada - As drogas ilícitas são a segunda etapa do problema, que começa com as drogas lícitas, especialmente o álcool. Não são poucas as famílias que tem problemas de uma ou mais pessoas com alcoolismo.

O que mais preocupa as autoridades de saúde nessa questão é que as pessoas estão começando a ingerir bebida alcoólica cada vez mais cedo, verdadeira porta de entrada para as drogas ilícitas e mais pesadas. “Os adolescentes hoje estão bebendo muito e começando muito cedo.

É importante que todos participem, através dos órgãos públicos e também de voluntários, para que a doença seja diagnosticada e as ações preventivas adotadas o quanto antes.

 

 

Voltar