º,

Dólar: R$ 3.9365

Saúde

Bragança fora da lista de cidades com registros de dengue


Publicado em 12/02/2019 09:13


 

 

Um levantamento realizado junto a LIRAa - Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti, do Ministério da Saúde, apontou que em 2018 Bragança Paulista atendeu a classificação satisfatória para infestações de larvas do Aedes aegypti, com a incidência 0,4 casos a cada 100 casas pesquisadas.

A pesquisa é adotada por municípios com mais de 100 mil habitantes, e em cada um é feita uma divisão em grupos de 8 mil a 12 mil imóveis com características socioambientais semelhantes. Em cada grupo também chamado de extrato, são pesquisados 450 imóveis.

Ações - No início do mês a Divisão de Vigilância Epidemiológica e Controle de Doenças retomou o programa "Arrastão de Limpeza", que passa com caminhões em bairros previamente anunciados para coleta de materiais inservíveis, com objetivo de conter a proliferação do mosquito vetor da dengue zika e chikungunya.

Esses arrastões também conscientizam a população sobre a necessidade de evitar água parada, onde as larvas do mosquito se desenvolve.

Restrição - A única vacina disponível no mundo de proteção contra a dengue (dengvaxia) pode causar problemas em quem nunca foi infectado pelo vírus. Pesquisas sugerem que os pacientes sem histórico de infecção podem desenvolver quadros mais graves se tomarem a vacina e, depois, forem picados pelo mosquito.

Com isso, houve uma alteração na bula que agora traz: contraindicação da vacina em indivíduos que nunca contraírem dengue.

Já a vacina que vem sendo testada pelo Instituto Butatan está em fase final de testes. Contudo, não há data para que ela comece a ser distribuída para a população. Segundo a assessoria de imprensa, pensando no melhor dos cenários, são necessários pelo menos mais 2 anos para a vacina ficar pronta.

 

 

Legenda:

Prefeitura visita semanalmente dezenas de bairros com o ‘arrastão da limpeza’

 

Foto

DIMP

Voltar