º,

Dólar: R$ 3.9914

Policial

Operação Falcão termina com 7 presos e mais de 3kg de drogas apreendidas


Publicado em 03/04/2019 13:36


 

 

Com quatro dias de duração, operação prendeu 7 pessoas, quatro em flagrante, entre eles um menor e outras três em cumprimento de mandado de prisão. Além dos presos foram apreendidos mais de 3 kg de drogas, das quais mais de 2 kg era apenas de cocaína. Deflagrada pela DISE - Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes - sob o comando do delegado Dr. Wagner Luiz Lioi Modesto, em conjunto com a Guarda Civil Municipal, a Operação Falcão teve início na manhã terça-feira, 2, e terminou na manhã de sexta-feira, 5, com a prisão de um menor de 17 anos e outro homem, apontado como “olheiro”, e na apreensão de 1,200 kg de drogas, que segundo o menor, seriam as vendidas em apenas um dia.

Outras equipes da GCM prestaram apoio na ocorrência

O delegado Dr. Wagner Modesto, classificou a operação como um sucesso e listou que a ajuda da Guarda Civil Municipal foi de suma importância para um desfecho positivo e benéfica à população. “Temos uma equipe enxuta e o apoio da GCM tem sido essencial para trazer os resultados positivos que estamos obtendo. Só nessa Operação foram mais de 3 kg de drogas” disse. Ele também agradeceu o apoio que tem recebido da Prefeitura Municipal, através do Secretário de Segurança e Defesa Civil, Dorival Francisco Bertin, para que essas operações sejam realizadas. “Gostaria de fazer um agradecimento ao secretário Bertin, pelo apoio prestado, para que o resultado fosse acima das expectativas. Esse conjunto entre GCM e DISE beneficia exclusivamente a população, que é uma das maiores vítimas desses criminosos que agem diuturnamente no tráfico de drogas” finalizou.

Bote final - A última ação da operação teve início nas primeiras horas da manhã de ontem com o cumprimento de mandados de busca e terminou, no final da manhã, no bairro da Penha, onde aconteceu a prisão. Segundo apurado pela GB, após intenso trabalho de campo as equipes já sabiam o modo que os traficantes agiam, e montaram cerco tático no local para evitar que os traficantes fugissem. Assim, Investigadores da DISE, juntamente com o delegado titular, Dr. Wagner Modesto, equipes da GCM, ROM - Ronda Ostensiva com Motocicletas - e Canil, iniciaram a incursão na rua Agostinho Marcheli, próximo ao campo de futebol, quando notaram que um homem gritou “Moiô, Moiô”, típico aviso a traficantes de que a polícia estava chegando no local. Prontamente, começou um corre-corre e os policiais notaram um jovem correndo com uma mochila, porém ele não esperava o cerco montado e deu de cara com as outras equipes. Foi detido e identificado como um menor de 17 anos e na mochila, uma surpresa: 1.200 Kg de drogas, sendo 652 pinos de cocaína pesando 597 gramas, 143 buchas de maconha, pesando 566 gramas e 92 pedras de crack pesando mais 37 gramas. Questionado, o menor alegou que toda a droga apreendida seria vendida apenas na sexta-feira, 5. Os investigadores apuraram que o menor é reincidente no crime de tráfico de drogas e já teve passagem no ano de 2017.  O outro detido, identificado como Claudionir da Silva, tem passagem por furto e embriaguez. Eles foram levados a DISE, e autuados em flagrante por tráfico de drogas e associação para o tráfico e encaminhados à audiência de custódia.  

O voo do Falcão - Diante da forte incidência do crime de tráfico de drogas que vem agindo na cidade, a DISE iniciou os trabalhos na manhã de terça-feira, com o cumprimento de mandados de prisão. Três homens, alvos de mandados pelos crimes de furto, tráfico de drogas e embriaguez ao volante, foram presos. Também lavrados dois Termos Circunstanciados de porte de droga.

Bote certeiro  - Já na quarta-feira, 3, o dia foi mais agitado para as equipes da DISE e da Guarda Civil Municipal. A primeira ocorrência, aconteceu por volta das 12h, quando os GCMs apreenderam cerca de 1,5 kg de cocaína, um prejuízo de mais de R$ 50 mil ao tráfico. Eles patrulhavam nas proximidades da Escola Municipal Vista Alegre, quando o veículo VW/Passat, preto, com três indivíduos, passou por eles passou em alta velocidade. Os GCMs iniciaram patrulhamento para encontrar o veículo e ao passar pelo bairro Green Park, o avistaram subindo a rua 3. O motorista, ao notar a presença dos GCMs acelerou e tentou colidir com a viatura, obrigando os guardas a realizarem uma brusca manobra para evitar a colisão, mas a viatura sofreu danos ao cair em uma boca de lobo aberta, ficando sem condições de perseguir os marginais.

Os guardas notaram que durante a fuga um deles arremessou uma mochila contendo a droga, que foi recolhida pelos GCMs e levada à sede da DISE onde foi lavrado o auto de apreensão de drogas. A DISE segue as investigações para identificar os traficantes. A cocaína, popularmente chamada de Aricanduva, por ter origem no bairro da capital paulista, tem o valor nas ruas que varia de R$ 20 a R$ 40 e a apreensão dá um prejuízo que pode chegar a R$ 53 mil.

Bote sorrateiro - Na tarde do mesmo dia, durante vasta investigação de campo sobre a prática de tráfico de drogas na biqueira conhecida por “Ramira do Campão” no bairro do Toró, investigadores da DISE, em conjunto com a GCM, prenderam Marcelo Florentino, 30 anos, alvo da investigação e apreenderam 90 porções de drogas entre maconha, cocaína e crack. Segundo apurado pela GB junto ao delegado Dr. Wagner Modesto, Marcelo vinha agindo na empreitada criminosa há mais de um ano e já acumula passagens por furto e roubo. Desta forma, naquela tarde quente, os investigadores, apoiados pelos GCMs, foram até a rua Exp. Demerval de Oliveira Leme, avistaram Marcelo que entrou na residência, ele foi acompanhado e abordado no quintal. Logo que entraram os tiras avistaram uma sacola plástica branca, escondida em um telhado, contendo 50 papelotes de cocaína, 10 porções de maconha e 30 pedras de crack. Questionado, Marcelo confessou no local a prática do ilícito e disse que vendia cada porção de cocaína a R$ 20, e as porções de crack e maconha a R$ 10, sofrendo um prejuízo de R$ 1.400. Ele foi levado a sede da DISE, onde foi autuado em flagrante por tráfico de drogas e recolhido à cadeia.

Falcão “bica” briguento na Penha - Em continuidade aos trabalhos a Operação Falcão alçou voo até o bairro da Penha, local de alta incidência de tráfico de drogas e alvo de diversas ações das Forças de Segurança. Lá, no início da tarde de quinta-feira, 4, Guardas Civis Municipais da Equipe ROM - Ronda Ostensiva com Motocicleta, realizavam patrulhamento ostensivo nas imediações da Escola Municipal Zita Barroso, no bairro da Penha, quando viram um indivíduo pegando uma sacola do chão. Eles acharam a atitude estranha e, por saber que o local é ponto de tráfico, se aproximaram para fazer a abordagem.

Porém, assim que encostaram as motos, o indivíduo empurrou um dos guardas, que caiu sobre a moto, desferindo chutes e socos no outro guarda que tentava abordá-lo e saiu correndo. Durante a fuga se desequilibrou e caiu em um barranco. Investigadores da DISE foram acionados para prestar apoio aos GCMs e finalmente o “briguento” foi contido e identificado como Guilherme Augusto de Moraes, de 24 anos. Em revista pessoal, foi encontrado com ele a quantia de R$ 40,00. Em seguida os investigadores acompanharam a apreensão da sacola que o suspeito mexia e o encontro de 13 “buchas” de maconha e 57 pinos de cocaína.  Questionado, Guilherme alegou ser “olheiro” do tráfico naquele bairro e receber R$ 30,00 por dia por esse “trabalho”. Ele foi levado para a DISE e autuado em flagrante por tráfico de drogas, resistência e dano e recolhido à cadeia.

 

.

 

Voltar