º,

Dólar: R$ 4.147

Meio Ambiente

Sistema Cantareira teve setembro com chuva abaixo da média


Publicado em 12/11/2018 19:46


A falta de chuva durante o mês de setembro foi sentida sobre a maioria das áreas de São Paulo e sobre o Sul de Minas Gerais, o que afetou também o sistema Cantareira, o maior reservatório para abastecimento de água para a Grande São Paulo. O volume de chuva acumulado em setembro de 2016 foi o mais baixo desde 2013 e cerca de quatro vezes menor do que o observado em setembro de 2015. Pela medição da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (SABESP), o Cantareira recebeu 38,7 mm de chuva nos 30 dias de setembro de 2016, sendo que a média histórica considerada é de 88,4 mm. No ano passado, choveu 154,5 mm em setembro, quatro vezes mais do que este ano. Em setembro de 2016, todos os reservatórios que abastecem a Grande São Paulo receberam menos chuva do que a média normal para o mês, mas o atual nível de água armazenada é relativamente confortável e está igual ou acima de 70% no Guarapiranga, no Alto Cotia, no sistema Rio Grande e no Rio Grande. Os níveis mais baixos em 3 de outubro eram do sistema Alto Tietê que tinha 39% de armazenamento e do Cantareira que estava com 43,4%. Mesmo assim, a quantidade de água disponível no Cantareira atualmente é um pouco superior ao que se observava no fim de setembro de 2013, antes da severa crise hídrica de 2014 e 2015. Em setembro de 2015, o volume de água armazenada no Cantareira ainda não havia preenchido a cota do volume morto. Isto só ocorreu em 30 de dezembro de 2015, depois de chuvas volumosas de setembro a dezembro de 2015. 06101612

Voltar