º,

Dólar: R$ 5.2229

GB Norte

Construrise vence licitação para revitalizar Lago da Hípica


Publicado em 11/10/2019 15:18


 

A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) realizou na quarta-feira, 9, sessão pública para definir a empresa que vai executar as obras de adequação das margens do barramento e desassoreamento do Lago da Hípica Jaguari.

A empresa vencedora foi a Construrise Engenharia Ltda, represente do consórcio CCL, constituído pelas empresas Coteg Construções e Gabiões Ltda. e Construrise Engenharia Ltda e Lta Engenharia Ltda, no valor de R$ 3.700.604,00.

A empresa, fundada em 2016, está sediada no município de Barueri, e é sócia de outras três empresas consorciadas para executar serviços de engenharia. A GBN tentou sem êxito acessar o site da empresa, que encontra-se em construção.

No total, sete empresas participaram do certame, sendo elas Palácio Construções Ltda; Jofege Pavimentação e Construção Ltda; Hanattec Comércio de Tecnologia Ambiental Ltda; Eiras Terraplanagem e Engenharia Eireli; Construrise Engenharia Ltda; Construdaher Construções e Serviços Ltda E Construnivel Construções e Comércio Ltda.

Como não houve interposição de recurso, os próximos passos são adjudicação, homologação, recolhimento da garantia contratual, registro da constituição do consórcio junto à Jucesp e assinatura do termo de Contrato.

Histórico – A Prefeitura e a Sabesp foram alvo de Inquérito Civil instaurado pelo Ministério Público que apontou como responsáveis a Sabesp pelo lançamento do lodo no Lago da Hípica oriundo da sua Estação de Tratamento de Águas (ETA) no Jardim Santa Lúcia, e a Prefeitura, pelas erosões das ruas dos Loteamentos Hípica Jaguari, Jardim do Cedro, Conjunto Habitacional CDHU e obras de pavimentação da rua Alziro de Oliveira. A decisão determinou as responsabilidades na proporção de 20% do Município e 80% da Sabesp quanto ao processo de desassoreamento do Lago. Caso a vegetação não se recomponha naturalmente, caberá a Sabesp a responsabilidade de recuperação o que será verificado após decurso do prazo de cinco anos.

Voltar