º,

Dólar: R$ 4.147

Esportes

Bragantino e Oeste: um jogo de iguais, até na ruindade


Publicado em 16/10/2019 06:41


Bragantino e Oeste fizeram um jogo de iguais na noite de ontem, 15, no Nabizão. Iguais em tudo, até na ruindade. Nem em outras derrotas o alvinegro jogou tão mal. Para se ter uma ideia do péssimo futebol das duas equipes, apenas três lances de perigo ocorreram nos primeiros 45 minutos. Logo aos 10', quando Fábio foi lançado na esquerda, onde nunca está Aderlan, que cruzou para dentro da pequena área e Jussa não alcancou; aos 27', com Claudinho batendo da entrada da área, para fora e aos 39', num cruzamento para a área do Oeste que Rayan cabeceou na trave e no rebote Ytalo chutou e a bola bateu no braço de Jussa, penalti que o árbitro assinalou. E aquela displicência do alvinegro observada até então, também se viu na cobrança da penalidade através de Ytalo, que praticamente atrasou a bola para o goleiro Luís Carlos.

O resumo do primeiro tempo foi de um alvinegro completamente alheio em campo e com uma quantidade de passes errados jamais vista. O Oeste, por sua vez, repetiu a fórmula empregada no jogo do primeiro turno e escalou um 'bando' para atuar no meio-campo.

Segundo tempo - Com o setor de criação totalmente improdutivo e Morato muito aquém do que pode produzir, o técnico Zago deve ter gostado do Bragantino inoperante dos primeiros 45 minutos e voltou com a mesma formação.

E o show de horrores continuou. Passes errados, poucas jogadas de perigo e um sistema defensivo que falhou muito. Num dos raros ataques, aos 10', a bola sobrou na intermediária do ataque alvinegro e Ryller bateu no canto do goleiro Luís Carlos e a bola acabou entrando, 1 x 0. Até a marcação do segundo gol, aos 28' em cruzamento de Aderlan que encontrou Wesley no segundo pau e cabeceou sem chance de defesa, fazendo 2 x 0, nada de produtivo se registrou.

Quando achou que havia liquidado a fatura, eis que o Bragantino recua e chama o Oeste para o seu setor defensivo. Aos 36', na cobrança de escanteio, quatro jogadores do Bragantino subiram, e marcaram uns aos outros, ou seja, ninguém, deixando Lídio sozinho que cabeceou sem defesa para Júlio César. O rubro-negro de Barueri, que parecia morto, renasceu. Aos 33 minutos, em rara presença do Bragantino no ataque, Claudinho chutou da entrada da área mas a bola passou por cima do gol. Três minutos depois um lançamento de Elvis, no costado da zaga alvinegra, onde só havia um jogador, Bruno Gonçalves foi derrubado dentro da área por Léo Ortiz, e o árbitro assinalou penalti. Elvis bateu e empatou. A última chance do Braga foi aos 46', numa falta cobrada por Claudinho para o interior da área, que Léo Ortiz não alcançou. E fim de jogo.

Atuações - Júlio César (foi um espectador durante todo o jogo e sem culpa nos gols sofridos); Aderlan (o mesmo lateral que ataca com eficiência e falha na marcação); Léo Ortiz (jogou sozinho e teve que cobrir os dois lados quando o time era atacado. No penalti não lhe restou outra alternativa); Rayan (futebol ruim e sua participação se resumiu à cabeçada na trave adversária que resultou no lance do penalti desperdiçado por Ytalo); Edimar (bastante limitado defensivamente, não tem a rapidez para ir ao ataque quanto Rafael Carioca, que o técnico poupou); Ryller (acabou abarcado pelo futebol ruim do time e a seu favor a marcação do gol); Uillian Correia (mais lento que de outras vezes, muitos passes errados e sem cacoete defensivo para proteger a zaga); Claudinho (o 'dono' do time, que bate falta, escanteio, chuta, faz falta e cria as jogadas não tem ido bem nos últimos jogos. É visível o seu cansaço, mas ao lado de Wesley, levou perigo); Morato (a sua pior participação. Conseguiu efetuar oito passes e errar todos. Desligado e tardiamente substituído); Ytalo (ontem, nem aquilo que sabe fazer de melhor, gols, conseguiu. Figura decorativa e um penalti muito mal cobrado); Wesley (o melhor do time novamente, valeu pelo gol e o esforço durante os 90 minutos). Os suplentes Bruno Tubarão, Vitinho e Matheus Peixoto não tiveram chace de mostrar nada. O técnico Zago errou ao voltar com a mesma formação para a etapa final, mudou tardiamente as peças que não funcionavam e mais uma vez não conseguiu encontrar solução para as subidas de Aderlan, que não volta e abre uma avenida pelo setor direito do setor defensivo.

 

BRAGANTINO 2 x 2 OESTE

Local: Estádio Nabi Abi Chedid, Bragança Paulista

Data: 15 de outubro de 2019 (terça-feira)

Árbitro: Vinicius Gonçalves Dias Araújo

Público: 4.695 - Renda: R$ 33.195,00

Cartões amarelos: Wallace Bonilha, Renan Freitas (técnico) e Matheus Jussa (Oeste)

Gols: Ryller aps 55' e Wesley aos 73' (Bragantino) e Lídio aos 76' e Elvis aos 83' (Oeste)

BRAGANTINO: Julio Cesar; Aderlan, Léo Ortiz, Rayan e Edimar; Ryller e Uillian Correia (Vitinho); Morato (Bruno Tubarão), Claudinho e Wesley; Ytalo (Matheus Peixoto). Técnico: Antônio Carlos Zago.

OESTE: Luis Carlos; Wallace Bonilha (Roberto), Lídio, Caetano e Salomão; Matheus Jussa, Betinho e Elvis (Welliton); Thiaguinho, Fábio e Mazinho (Bruno Gonçalves). Técnico: Renan Freitas.

Voltar