º,

Dólar: R$ 5.2229

Editorial

Trabalhem, senhores vereadores, trabalhem!!


Publicado em 12/11/2018 19:34


Paulo Alberti Filho Pelas atitudes dos membros da Comissão de Justiça da Câmara (CJ), pelo procedimento do seu presidente, vereador Marcus Valle, diante da denúncia que pede a cassação do Título de Cidadão Bragantino concedido a Rodrigo Morales, percebe-se que os senhores vereadores não querem trabalhar, não querem honrar o juramento de posse, não querem se indispor com o criminoso delator e réu confesso pego na Operação Lava Jato. Os cinco vereadores da Comissão, Marcus Valle, presidente, Rita Valle (ambos do PV), vice, Miguel Lopes (PSD), Gabriel Gonçalves (DEM) e Gislene Bueno (PRTB) se esquivaram de analisar a denúncia pela primeira vez, alegando que era anônima e pediram ao presidente da edilidade,Tião do Fórum (DEM) para arquivar. Inconformado com essa postura da CJ, que no meu entender não consideram valores como a Moralidade Pública, o bom nome de nossa cidade e dos cidadãos de bem que aqui habitam, resolvi “dar a cara a tapa”, como sempre faço em defesa dos ideais que me alimentam, assinar a denúncia, tirá-la do anonimato e quebrar a cômoda e esfarrapada alegação do presidente da CJ, que pretendia vê-la arquivada. Diante dessa postura e após protocolar com o presidente da Câmara, ofício capeando um dossiê com 80 páginas que detalha o envolvimento criminoso de Morales na Lava Jato, o presidente Tião do Fórum devolveu a denúncia para a Comissão de Justiça. Entretanto, o presidente da CJ, Marcus Valle, deu outra “saboneteada”, não respeitou o Regimento Interno da Câmara. Não submeteu a denúncia à análise dos demais membros da CJ e simplesmente emitiu sua opinião apontando para que cópia do processo fosse encaminhada a cada um dos 19 vereadores para que, querendo, um deles tome uma atitude. Com isso a CJ fugiu ao seu dever regimental e jogou a “bomba” do mesmo jeito que a pegou, para o plenário. Uma atitude covarde de cinco servidores públicos que são pagos para trabalhar e cumprir obrigações. Não quiseram trabalhar e não analisaram a denúncia como exige o Regimento Interno da Câmara. O presidente não nomeou um relator para dar o devido parecer sobre a matéria e nem cumpriu o que determinam os artigos 89 e 90 e seus incisos do Regimento Interno. A denúncia que pede a cassação do Título de Cidadão precisa ser analisada e votada pela CJ, seja pelo acatamento, seja pelo arquivamento. Essa é a obrigação da Comissão de Justiça. Agora, caso os membros da Comissão de Justiça se sintam constrangidos para julgar a denúncia contra Morales, renunciem ao cargo e que os demais vereadores elejam uma nova comissão. Por outro lado, se nenhum vereador tem rabo preso com Rodrigo Morales, principalmente o presidente da edilidade, Tião do Fórum, que a Mesa da Câmara devolva o processo à Comissão de Justiça para que ela cumpra sua obrigação. Que aceite ou rejeite a denúncia, mas trabalhem, cumpram seus deveres de ofício, senhores vereadores. Afinal, cada um dos senhores recebe R$7.102,00 por mês, que saem dos impostos que pagamos, para que?

Voltar