º,

Dólar: R$ 5.2229

Editorial

INCOMPETENTE, IMORAL E SEM LUZ


Publicado em 12/11/2018 19:34


Paulo Alberti Filho Pela primeira vez nos últimos 50 anos, nossa querida cidade poderá ter um Natal sem luz. Sem a luz do clima natalino, sem a luz da energia elétrica e o nosso comércio corre sério risco de também não ter a luz da prosperidade tão expressiva nesta época do ano. Infelizmente não são previsões. São sintomas que todos sentimos, provocados pela incompetência da administração municipal do PT. Além do Natal, também não teremos o Carnaval. Mas o Carnaval não significa muito se compararmos aos estragos promovidos pela incapacidade administrativa de um governo que neste ano teve um orçamento de R$428 milhões que evaporaram dos cofres municipais sem sequer construir uma única obra, sem assentar um tijolo em obra significativa para a população com recursos próprios do município. A menos de 14 meses para terminar o mandato, Prefeitura e Câmara Municipais competem para conquistar o troféu da incompetência, da letargia, da insensibilidade, da locupletação legislativa para com as necessidades do povo. Até os vereadores que estão na política há mais de 20, alguns até 30 anos, se renderam ao canto da sereia do Palácio Santo Agostinho, hipnotizados pelo falso brilho da estrela vermelha de um governo que deixou a todos daltônicos. E assim engolem a má administração da saúde pública que está terceirizada para a ABBC e não enxergam outras atividades lesa- município que prosperam sem nenhum vereador questionar. Quem diria? Com os cofres públicos vazios porque gastou mal, sem perspectivas e planejamento para 2016, o prefeito dirige sua voracidade para os bolsos do povo em busca do ouro salvador. Fracassado na intentona de cobrar um IPTU escorchante, porque a Câmara “vetou” devido a pressão da sociedade e da imprensa que mostrou a todos a imoralidade de se aumentar impostos injustamente, tenta mais uma vez penalizar aos contribuintes pela sua incompetência administrativa, propondo outra imoralidade, que é a cobrança da taxa de iluminação pública extinta em 1998 por ser inconstitucional na época. Mais tarde alteraram a Constituição, trocaram o termo taxa por contribuição e custeio, e o que era ilegal e imoral, tornou- se legal, mas continua sendo imoral. O povo pode ser acusado de escolher mal seu governante e seus representantes. Mas não pode ser responsabilizado pela sua incompetência e não pode pagar mais do que já paga pelo erro cometido nas urnas em 2012. Não pode ser responsabilizado porque foi enganado na sua boa fé. Acreditou em todos. E todos nos enganaram e quebraram a cidade. E agora, na maior cara de pau querem que paguemos a conta. Uma conta que fica maior do que aquela que o PT/Lula, o Mensalão, o Petrolão, o Lava-Jato e outras facções partidárias e suprapartidárias que tem até braços no município, nos empurram via Dilma Roussef, para pagar a roubalheira que quebrou o Brasil. A imposição da taxa de iluminação pública em Bragança, que tramita na Câmara, é mais uma imoralidade que atenta contra economia popular e, com certeza, não seria proposta caso esse governo municipal não fosse do PT. Um governo que nos últimos anos só tem nos dado maus exemplos e, em alguns casos, aos olhos do mundo, envergonhando a nossa história e o povo bragantino. Mesmo com tudo isso e muito maior que toda essa desgraça administrativa que assola Bragança, esse governo que pensa ser Ele e poder tudo, não poderá jamais nos privar da Luz Divina que lhe mostrará o caminho de volta para onde nunca deveria ter saído.

Voltar