º,

Dólar: R$ 5.1787

Editorial

Cúmplices?


Publicado em 12/11/2018 19:34


Paulo Alberti FIlho Causou indignação aos cidadãos de bem desta cidade a postura contida no parecer da Comissão de Justiça da Câmara Municipal, assinada pelos vereadores Marcus Valle, Rita Valle, ambos do PV e Gislene Bueno (PRTB), com relação a denúncia anônima protocolada na edilidade pedindo a cassação do título de Cidadão Bragantino concedido a Rodrigo Morales por força da indicação da vereadora Fabiana Alessandri (PSD). A Comissão de Justiça não aceitou a denúncia por ser anônima, alegando que o fato que justifica o pedido de cassação do diploma, poderia ser mentiroso e, devido ao anonimato não teria a quem questionar e verificar sua veracidade ou não. Alegou ainda que em situações anteriores análogas a Câmara tomou a mesma postura. Os vereadores parecem que vivem noutro mundo, alheios ao impeachment da presidente da República e do escândalo de corrupção denunciado pela operação Lava Jato, na qual Rodrigues Morales e seu sócio Roberto Trombeta estão atolados até o pescoço. Para investigar essa denúncia é só entrar no site do Ministério Público Federal e saber das operações que estão colocando todos os corruptos envolvidos na cadeia. E lá figuram, em vários processos, como delatores e réus confessos a dupla Morales e Trombeta. Tenho dito aqui na Gazeta Bragantina e na GB Norte, que a vereadora Fabiana Alessandri, autora do pedido de concessão da mais alta honraria a esse criminoso do colarinho branco, deveria ter a decência dela mesmo pedir a cassação desse diploma, principalmente porque ela é bragantina nata, filha de uma família honrada e decente, assim como os vereadores que rejeitaram a denúncia. Os crimes cometidos por Rodrigues Morales (que já era suspeito pela gastança incomedida de dinheiro) estavam ocultos, mas já eram cometidos antes mesmo da concessão da honraria e veio a público graças ao juiz Sérgio Moro e a Polícia Federal. Os vereadores da Comissão de Justiça que assinaram a rejeição da denúncia, não querem trabalhar ou se indispor com um dos maiores financiadores da campanha eleitoral de 2012 que elegeu a coligação PT/PTB/PV, provavelmente com dinheiro da corrupção que afundou o Brasil. Essa desculpa esfarrapada sugere ser protetiva ao criminoso que não é digno de ser distinguido com o Título de Cidadão Bragantino porquanto seus crimes prejudicaram toda a Nação. Se os vereadores não sabiam que ele era criminoso, agora sabem. E, por fim, mesmo sem ter nada a ver com a denúncia rejeitada, a partir deste momento, deixa de ser anônima pois aponho minha assinatura publicamente nesse documento. Se a Câmara Municipal não tomar nenhuma providência, certamente poderá estar sendo cúmplice da imoralidade pública que se instala em nossa cidade sem o menor pudor.

Voltar