º,

Dólar: R$ 4.1864

Natal

O Natal está chegando! Tempo de festa, alegria e esperança. Tempo de comemoração. Tempo de dar e receber presentes, reencontrar amigos e familiares. É a hora de renovar as esperanças no “menino Jesus”, sem se esquecer do “bom velhinho: o Papai Noel”. Certo?!...

Esse é o “espírito” do Natal que se propaga em nossos dias. É o acontecimento que valoriza a “festa” pela festa, esquecendo-se do verdadeiro motivo do Natal.

Então, a pergunta que nos cabe é: O que é Natal?

Natal é a celebração, em gratidão, ao maior de todos os presentes jamais visto, oferecido e recebido por alguém. Deus, o grande El Shadai, é o doador. Ele nos deu seu presente na forma de um bebê. A Bíblia registra que “vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher... a fi m de recebermos a adoção de fi lhos” – Carta os Gálatas 4:4. O anúncio do nascimento de Cristo Jesus foi feito por um anjo que disse: “Eis aqui vos trago boa nova de grande alegria, que o será para todo o povo: é que hoje vos nasceu na cidade de Davi, o Salvador, que é Cristo, o Senhor” – Evangelho de Lucas 2:10 e 11. Assim, Jesus Cristo, que “no princípio era o verbo... se fez carne” - Evangelho de João 1:1 e 14. 

E por que Deus se tornou carne e habitou entre nós? Porque “todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo caminho” – Isaías 53:6. A humanidade sem Cristo estava, e está, perdida. Mas, o fato de Jesus Cristo ter vindo até nós, mostra que Deus queria, e quer, nos resgatar para Si.

Devemos nos lembrar também que, ao celebrarmos o Natal não estamos celebrando apenas o nascimento de uma criança, celebramos Deus encarnado entre nós. O Na¬tal mostra a manjedoura mas aponta para a cruz. É o nascimento que anuncia morte, morte resgatadora. Resgate que traz vida.

É essencial olhar além do dia de Natal. Devemos ver o bebê Jesus que se tornou menino, formou-se homem, foi crucifi cado, morto e sepultado, ressuscitou, subiu ao céu, está assentado a destra de Deus Pai.

Natal é o cumprimento da Vinda do Messias prometido que deixou o céu para nos salvar do poder do pecado sobre nós e das suas consequências eternas. “O verbo se fez carne e habitou entre nós” “Mas para a terra que estava afl ita não continuará a obscuridade... O povo que andava em trevas viu grande luz... Porque um menino nos nasceu, um fi lho se nos deu; o governo está sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz” – Evangelho de João 1:14 e Isaías 9:1, 2 e 6

Natal é a maior prova do amor de Deus por nós. Jesus Cristo veio salvar o pecador: “eu não vim para julgar o mundo, e sim para salvá-lo” “eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância” – Evangelho de João 12:47 e 10:11. 

Natal é a garantia de perdão para qualquer um que crê em Jesus Cristo. Ele veio chamar o pecador ao arrependimento: “não vim chamar justos, e sim pecadores ao arrependimento” – Evangelho de Mateus 9:13. Jesus Cristo, o Deus encarnado, deixou o céu e se fez homem para salvar aqueles que creem.

Natal é crença. Crença de que “Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. Quem crê nele não é condenado, mas quem não crê já está condenado porquanto não crê no nome do Unigênito Filho de Deus” – Evangelho de João 3:17, 18. 

 Ao comemorar o Natal devemos agradecer a Deus pelo presente dado a nós: a salva- ção através de Jesus Cristo; pois “Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” – Evangelho de João 3:16.

Voltar