º,

Dólar: R$ 4.1864

Aniversário de Bragança

Hoje, 15, é o aniversário da cidade. Bragança Paulista comemora 255 anos de existência. 

Conta a história que em 15 de dezembro de 1763 Antonio Pires Pimentel, mandou construir uma capela numa colina da Serra da Mantiqueira, à margem do Ribeirão Canivete. Em torno dessa capela formou-se um povoado, que em 13 de fevereiro de 1765, recebeu o nome de Distrito de Paz e Freguesia de Conceição do Jaguary. No ano de 1797 o distrito passou a chamar-se Vila Nova Bragança. Em 1856, como município, passou a chamar-se Bragança e em 1944 Bragança Paulista, para diferenciá-la de sua homônima no Estado do Pará. 

Com seus 255 anos a cidade traz marcas de seu passado: ruas estreitas, comércio e agências bancárias restritas a região central e um sentimento de dependência da capital. Mas, como uma cidade que avança para o futuro, algumas das marcas da modernidade são o Bragança Garden Shopping os novos loteamentos e inú- meros codomínios fechados que se espalham pela região urbana; as TVs, notadamente a Altiora; as diversas emissoras de rádio em AM e FM; os cursos técnicos e de nível superior oferecidos pela Universidade São Francisco (USF), Fundação Municipal de Ensino Superior de Bragança Paulista (FESB), Instituto Federal de São Paulo (IFSP) e Fundação de Apoio a Tecnologia (FATEC); o Hotel Villa Santo Agostinho e as indústrias e comércio cada vez mais fortes e competitivos. 

Avançando para o “futuro” com um pé no passado, precisamos questionar se a cidade que sonhamos e desejamos está sendo construída. E mais, se somos participantes dessa construção. Se, como cidadãos, conhecemos nossos direitos e deveres, e fazemos prevalecer os direitos enquanto cumprimos nossos deveres. 

O cristão, como cidadão, deveria lembrar-se de que nada trouxemos a este mundo e nada levaremos dele, mas que somos responsáveis por ele. Assim, como cristãos, bragantinos de nascença ou adoção, somos responsáveis por nossa cidade. 

O cristão deve lembrar- -se de “amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo”, conforme o Evangelho de Mateus 22:37 e 39, agindo com amor em cada ato em favor da sociedade. Também deve lembrar-se de orar pelas autoridades constituídas usando “a prática de súplicas, orações, intercessões, ações de graças, em favor de todos os homens... e de todos os que se acham investidos de autoridade, para que vivamos vida tranquila e mansa, com toda piedade e respeito.” – 1ª Epístola de Paulo a Timóteo 2:1 e 2. 

A cidade que sonhamos, desejamos e que deixaremos como herança é a que estamos construindo com nossas ações diante de Deus.

Voltar