º,

Dólar: R$ 4.183

A pavimentação das ruas de Bragança Paulista

Ao continuar com a pesquisa da evolução urbana de Bragança Paulista, não podemos deixar de falar das vias de comunicação e das ruas que aos pouco passaram a ser pavimentadas, importantes para a circulação na cidade. Nesta coluna de “Histórias Bragantinas”, buscaremos assim mostrar por meio de fotos antigas e atuais algumas das ruas que foram sendo aos poucos pavimentadas. Uma das imagens que vimos no último artigo mostra a Rua José Guilherme sem ainda estar pavimentada, enquanto que na imagem ao lado há a pavimentação das ruas em torno da Casa de Câmara e Cadeia e do Teatro Carlos Gomes. Em 1928, alguns trechos da Rua José Guilherme começaram a ser pavimentados, assim como as ruas Conselheiro Rodrigues Alves, Coronel Teófilo Leme e a Rua da Liberdade, conforme dados apresentados na dissertação de mestrado Andrea Luri Ishizu. 31031820 31031821           Não foi, contudo possível encontrar a data exata de quando as fotos acima foram tiradas. Porém, ainda de acordo com Andrea Luri, houve um início de pavimentação na primeira metade do século XX, e que se intensificou na década de 1930. Notamos igualmente que na imagem à direita, diante da Casa de Câmara e Cadeia, há um poste de energia elétrica, verificando assim que além do desenvolvimento da pavimentação, houve também o da distribuição da eletricidade pela cidade de Bragança Paulista. No caso da pavimentação das ruas, o processo era feito em sua maior parte com paralelepípedos. Como não podemos verificar a data exata desta foto, mostraremos outras ruas do centro da cidade que ainda eram de terra na década de 1930, conforme indicados em algumas fotos e como é o caso da imagem abaixo em que aparece o Mercado Municipal.   [caption id="attachment_22259" align="alignleft" width="245"]Foto: Acervo Museu Municipal Oswaldo Russomano Foto: Acervo Museu Municipal Oswaldo Russomano[/caption]             A foto, datada da década de 1930, mostra a antiga Travessa Paysandú, atual Rua Nicolino Nacaratti, ainda sem pavimentação. Podemos perceber do lado direito da imagem o “Mercadão” Municipal. Analisaremos também outras imagens, que mostram a já citada Rua Conselheiro Rodrigues Alves em dois determinados períodos que não podem ser identificados com precisão. Um anterior à pavimentação da Praça Jacinto Domingues (à esquerda), e outra já com a praça pavimentada (à direita), conforme podemos observar abaixo. 31031823 31031824             Outro fator importante é que em ambas as imagens, podemos notar ao fundo o Teatro Carlos Gomes e a Casa de Câmara e Cadeia. Quanto à Rua Conselheiro Rodrigues Alves, que se une à Rua José Guilherme ao nível do cruzamento, aparece na foto já asfaltada. Constate-se que a evolução urbana e a pavimentação das principais ruas do centro de Bragança Paulista têm uma forte relação com a chegada do automóvel na cidade na década de 1910. Assim inicia-se o século XX, com diversos benefícios e avanços tecnológicos desenvolvidos em decorrência da segunda fase da Revolução Industrial, como foi a eletricidade, o automóvel e a indústria petroquímica, que trouxe dentre várias composições um asfalto mais aperfeiçoado. Vejamos a foto atual do mesmo lugar, no século XXI, e as transformações que ocorreram a nível urbano na mesma localização mostrada acima, o da Praça Jacinto Domingues, conhecida também por Larguinho das Pedras.   [caption id="attachment_22263" align="alignleft" width="245"]Foto atual da Praça Jacinto Domingues (Fevereiro de 2018) Foto atual da Praça Jacinto Domingues (Fevereiro de 2018)[/caption]             Nesta imagem, notamos já o grande número de automóveis nas ruas, um bem de consumo que na verdade se popularizou muito nos últimos anos e que transforma nitidamente a paisagem urbana. Nota-se no fundo da foto, o Teatro Carlos Gomes, hoje abandonado, e o Casa de Câmara e Cadeia. Notamos também na rua novas construções que surgiram com o passar do século XX na Rua Conselheiro Rodrigues Alves e que poderemos tratar em futuros artigos de maneira mais detalhada. O asfalto foi também amplamente utilizado para a pavimentação das ruas ao longo do século XX, e hoje a maior parte das estradas e ruas da cidade usa deste elemento, apesar de ainda existirem algumas ruas com blocos de paralelepípedo e também de concreto. Entretanto, quando se trata dos anos 1930, para pavimentar a maioria das ruas naquela época era utilizado o paralelepípedo, ainda que algumas poucas ruas do centro estivessem sendo gradativamente asfaltadas. Bragança Paulista, apesar de representar em certos casos para a nossa região alguns avanços significativos a nível para época, ainda permaneceu majoritariamente rural até o início da década de 1960, época em que a população urbana ultrapassou a rural. Falaremos mais a respeito das evoluções urbanas ocorridas em nossa cidade nos próximos artigos da coluna. Aguardem! 31031826

Voltar