º,

Dólar: R$ 3.7569

Coluna da gazeta

 

2020

Lentamente o ano político eleitoral de 2020 começa a dar sinais de movimentação a partir das articulações partidárias para a eleição de prefeitos e vereadores. Às vistas do eleitorado nada acontece ainda, porque as conversas entre as lideranças, embora caminhem, estão entre quatro paredes. A partir do segundo semestre deste ano os partidos terão que se organizar e o assunto se tornará mais frequente nas mídias.

BURBURINHOS

Mesmo diante desse quadro, os burburinhos são inevitáveis. A principal questão é a sucessão do prefeito Jesus Chedid e do vice Amaury. Não tenho dúvidas que Jesus vai tentar mais um mandato. Sintoma disso é o cuidado que tem tido com sua saúde, considerando que tempos atrás não era tão disciplinado para se cuidar e isso lhe garante o ânimo e a longevidade, necessários para recuperar a cidade do caos herdado em 2016, e para a vida pública também. Passados dois anos de sua posse, a cidade já é outra e muito melhor em todos os sentidos.

OPOSIÇÃO

Não se tem notícia nenhuma sobre os políticos de oposição ao grupo do prefeito, a não ser conversas de botequim e alguns cacarejos de franguinhos de jacá. Mas isso não diminui a oposição. Pelo contrário, é sinal que estão se articulando e procurando, quem sabe até com lanterna na mão, um candidato para fazer frente ao Democratas. Está difícil encontrar alguém além dos mesmos dos mesmos.

EM SÃO PAULO

Na capital, a situação já caminha mais clara. Semana passada o ex-governador Marcio França anunciou sua pré-candidatura à prefeitura.

Na segunda-feira, 29, o ex-deputado estadual e presidente do Sintracon, Ramalho da Construção, anunciará a sua desfiliação do PSDB e assinará a ficha do Partido Solidariedade e, provavelmente, deverá se manifestar sobre sua intenção de ser pré-candidato do partido à prefeitura de São Paulo.

O momento político da capital é muito ruim para o PSDB, porque o prefeito Bruno Covas não caiu nas graças do eleitorado e a própria imagem do partido está sobejamente desgastada também pelos escândalos que envolvem algumas de suas estrelas na Lavajato. O mesmo acontece com o PT e os partidos de esquerda.  Na capital o clima é favorável para um nome novo com prestigio junto ao eleitorado e com vivência política.

PUBLICIDADE /TRANSPARÊNCIA

A prefeitura deve escolher os nomes dos profissionais inscritos para analisar as propostas dos prováveis participantes da licitação que vai contratar empresa que deverá produzir e veicular material publicitário da administração municipal. É uma forma de contribuir com a transparência de gestão e propiciar a informação constante á população.

Obviamente, esse fato preocupa os franguinhos de jacá da oposição porque, com olhar em 2020, a publicidade institucional e legal do Executivo irá expor para mais de 200 mil habitantes o cabedal de obras e benefícios que o prefeito está programando para o segundo semestre deste ano, além do que já está sendo executado, que deve perdurar até final de seu mandato.

BATE-BOCA

Ao assistir a discussão sobre essa matéria entre os vereadores, os tradicionais franguinhos de jacá da Câmara, conhecidos como Quiqui Brow(PV) e Basilio Zecchini (PSB) protagonizaram acusações a alguns profissionais inscritos de manter vinculo suspeitos com veículos de comunicação, para formar a comissão que será escolhida por sorteio na segunda feira,29. Seu discurso foi na base do achismo, com erros e suposições não verdadeiras sobre vínculo contratual entre veículos e a Prefeitura.

SEM VÍNCULO

Se não tem contrato, não tem vínculo. Eu falo pela Gazeta e pela GBNorte que não indicou nenhum profissional efetivo de seus quadros para disputar o sorteio para formar a comissão que analisará as propostas.

Embora os nossos jornais publiquem publicidade institucional, não configura nenhum vínculo com a Prefeitura. Até porque vendemos anuncio no balcão dos jornais. Se o cliente quer comprar o espaço nós vendemos, desde classificados até página inteira.  Mesmo que tivéssemos indicado alguém, o suposto vínculo criado pelos vereadores, não existiria.

O fato de alguém almoçar num restaurante, não cria vínculo com o estabelecimento.

 

MAIS O QUE FAZER

Dia desses comentei durante almoço com um líder político, que os vereadores de nossa Câmara deveriam procurar mais o que fazer além das sessões regimentais. Dois anos já se passaram e a maioria dos edis continua no anonimato e ganhando mais de R$ 12 mil por mês. Por isso é que digo que alguns parecem franguinho de jacá, ou seja, viajam amontoados num jacá no lombo de um animal, promovem um barulhão danado e não fazem nada.

HABITARTE

A justiça concedeu em caráter liminar a suspenção de pagamentos de parcelas de compra de lotes no loteamento Vila Verde, implantado no entorno do Lixão, até o julgamento dos processos. As ações foram impetradas por dois adquirentes depois que foram reveladas publicidade enganosa na divulgação do empreendimento. Agora são três ações distintas sobre o mesmo fato que tramitam na justiça contra a Habitarte.

 

REFLEXÃO : Salmos 43:1-5

1 Faze-me justiça, ó Deus, e pleiteia a minha causa contra a nação ímpia. Livra-me do homem fraudulento e injusto.

2 Pois tu és o Deus da minha fortaleza; por que me rejeitas? Por que ando lamentando por causa da opressão do inimigo?

3 Envia a tua luz e a tua verdade, para que me guiem e me levem ao teu santo monte, e aos teus tabernáculos.

4 Então irei ao altar de Deus, a Deus, que é a minha grande alegria, e com harpa te louvarei, ó Deus, Deus meu.

5 Por que estás abatida, ó minha alma? E por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, o qual é a salvação da minha face e Deus meu.

 

Voltar